Quarta, 13 de novembro de 2019
34 9 9697-4985
Cidades

24/10/2019 às 11h37 - atualizada em 24/10/2019 às 11h41

87

Redacao

Iturama / MG

Donos de granjas pedem apoio ao Legislativo de Uberaba contra carro do ovo
.
Donos de granjas pedem apoio ao Legislativo de Uberaba contra carro do ovo
Nos últimos tempos, vendedores ambulantes colocaram no mercado uma cartela do produto, com 30 unidades, ao preço de R$10 

A Câmara Municipal de Uberaba (CMU) abriu espaço para discussão sobre a comercialização de ovos na cidade. Nos últimos tempos, vendedores ambulantes colocaram no mercado uma cartela do produto, com 30 unidades, ao preço de R$10. Para tratar dessa situação, o diretor financeiro da empresa Avicultura Delta (Ovos Delta), Rodrigo Ferreira de Castro Rezende, esteve no plenário do Legislativo para discutir o assunto. 

Convidado do vereador Thiago Mariscal (MDB), Rezende falou que essa prática – a venda de ovos abaixo do valor de custo – prejudica as granjas que atuam no setor. O custo desse produto, conforme o diretor da Avicultura Delta, é de R$10 por cartela com 30 ovos, o que impossibilita que chegue ao consumidor a este valor.

Ferreira apresentou dados da Embrapa e da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) que apontam que Minas Gerais é o terceiro maior produtor ovos/dia do Brasil. Uberaba possui quatro granjas de postura, com uma produção de 130 mil ovos/dia. São 362 caixas/dia, que rendem diariamente R$36.200. “Nós hoje enfrentamos uma grande dificuldade. É a fiscalização com o chamado ‘carro do ovo’, que entra no município sem pagar impostos, ou seja, há perda de arrecadação para Uberaba”, ressaltou.

Rezende lembrou que foram apreendidas, no dia 31 de agosto, 7.500 dúzias ovos sem comprovação de origem. “Muitos empreendedores individuais, os chamados MEIs, poderiam adquirir esses ovos e coloca-los à venda. E o que cobramos é que seja feita a fiscalização, uma vez que para a venda de ovos é necessário ter condições de armazenamento, local adequado, fluxograma e arrecadação para que haja concorrência leal e o consumidor saiba qual a origem”, frisou. 

O líder do governo na CMU, vereador Rubério Santos (MDB), disse que com a municipalização da Ceasa haverá condições de autuar a apreender mercadoria que entra no município sem a comprovação de origem. Segundo ele, antes dessa iniciativa, a direção da Ceasa em Uberaba estava de mãos atadas. “Agora, é importante que o consumidor também esteja atento à origem do produto e não adquira esses ovos, que não se sabe de onde vêm”, destacou.

FONTE: JM Online

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium